Hoje vamos conversar sobre como enfrentar uma separação com filhos. Uma decisão bem complicada após o momento de separação de um casal que tem filhos é saber como explicar o ocorrido para a criança ou adolescente.

Então hoje vamos conversar sobre o que falar sobre a separação com filhos, de acordo com a sua idade:

  • De 0 a 2 anos – Nessa idade a criança ainda não tem noção de nada que está acontecendo e são muito apegadas às mães, portanto jamais brigue ou discuta com seu parceiro perto delas. Apesar da idade, elas acabam sentindo a energia e sofrem junto com a mãe. Assim que a alcançarem a idade da compreensão, terão o direito de saber o que aconteceu só assim você poderá contar.
  • De 3 a 6 anos – Nessa fase a criança já entende um pouco sobre o que está acontecendo, mas com limitações. Sente e converse, dizendo que o papai e a mamãe a não estão mais juntos e o casal vai morar em casas separadas, porém sempre serão seus pais. Algo importante é jamais falar para a criança que o pai ou a mãe foi viajar ou algo do tipo, você estará omitindo e enganando a criança, e assim que ela crescer e saber a verdade ela irá se chatear.
  • De 7 a 13 anos – A partir dessa idade, elas já sabem muita coisa, então não avise sobre o divórcio de um dia para o outro, faça um trabalho com o seu filho. Explique como vai ser a rotina após a separação e vá tranquilizando dizendo que quem sair de casa, tanto a mãe quanto o pai, vai continuar participando da vida dele. Os pais devem demonstrar muito respeito um pelo outro, independente do que aconteceu, a criança não pode ser exposta a um ambiente de guerra entre os pais. O mais importante é não expor aos filhos o que foi feito de errado, e nem a causa. Apenas converse numa boa.
  • De 14 anos em diante – Nessa idade os pais precisam tomar muito cuidados porque os adolescentes entendem tudo, com isso, a melhor decisão é evidenciar o que realmente aconteceu, caso seu filho queira saber (não precisando entrar em tantos detalhes). A separação não pode estimular a distância, os pais têm que se preocupar em fazer atividades com aos filhos, destinando um tempo só pra eles. Quando o filho chegar à casa da pessoa com quem ele não vive, saiba agir de uma forma leve, perguntando sobre o que passou na semana, se aconteceu alguma coisa legal, como está indo na escola, mostrando que se importa.

No geral, tente conversar deixando seu filho à vontade, expressar sua tristeza sem pressionar e tente reagir positivamente. Aproveite todo o tempo e realize atividades variadas. Ele pode ser ocupado por meio de um esporte, com arte e música ou até com brincadeiras.

Os pais têm de ficar atentos a isso e, se notarem seu filho com atitudes negativas, tristeza, uma terapia pode ser uma boa alternativa. Porém pode ser uma boa pedida, aproveite esse sentimento para se aproximarem. Leve-o para comer sua comida favorita, com direito a sobremesa e tudo! E se nada disso funcionar, permita-se curtirem a fossa juntos: a tristeza pode ser muito boa, então extraia dela algum aprendizado.

Independente da situação dos pais, eles jamais deixam de serem nossos filhos. Até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *